Magnum Concilium Veteranorum

Conselho de Veteranos da Universidade de Coimbra

 

 

 

Voltar

CAPA e BATINA

Constituição e normas de uso

 

Considera-se que, vestindo Capa e Batina, estão na PRAXE:

1.      Os estudantes que cumpram, comulativamente, os seguintes requisitos:

     a) Utilizarem sapatos pretos de estilo clássico sem apliques metálicos e meias pretas;

b) Utilizarem calça preta, com ou sem porta;

c) Utilizarem colete preto não de abas ou cerimónia;

d) Utilizarem Batina que não seja de modelo eclesiástico;

e) Utilizarem camisa branca e lisa, com colarinho de modelo comum, gomado ou não, e com ou sem punhos;

f) Utilizarem gravata preta e lisa;

g) Utilizarem a Capa preta, de uso comum, com ou sem cortes na parte inferior e com ou sem emblemas de pano na parte interior esquerda, quando sobre os ombros;

h) Não é permitido o uso de distintivos na lapela, com excepção do alfinete de curso;

i) Não permitido ter lenço visível no bolso do peito;

j) Todos os botões do colete, das calças e da Batina têm que ser pretos;

k) O bolso posterior da calça, tendo casa, tem de ter botão;

l) A Batina, na parte frontal à altura do tronco deverá ter três botões, devendo ter no topo da lapela, na parte de trás, um pequeno botão com a respectiva casa na lapela oposta, a fim de permitir o fecho da Batina em caso de luto. Deve ainda ter pregados, na parte média posterior, dois botões de tamanho não inferior aos da parte frontal e apresentar em cada uma das mangas de um a quatro botões, mas de modo a que o número destes seja o mesmo num e noutro punho;

m) É proibido o uso de botins ou botas, luvas, pulseiras, brincos, piercings visíveis e outros adereços não expressamente autorizados pelo Conselho de Veteranos;

n) Sobre a cabeça só é autorizado o uso de gorro da PRAXE, o qual não tem borla nem termina em bico;

o) A roupa interior e os bolsos não estão sujeitos a revista;

p) Os emblemas da Capa não podem ser visíveis estando esta traçada ou sobre os ombros;

q) Somente é permitido o uso de emblemas em pano na Capa que serão os da pátria, cidade natal, dos locais relacionados com os actos decorrentes da actividade académica, excluindo os incompatíveis com a Praxe Académica Coimbrã, tais como emblemas de clubes, marcas comerciais ou similares.

2.      As estudantes que cumpram, comulativamente, os seguintes requisitos:

     a) Utilizarem sapatos pretos, de estilo clássico sem apliques metálicos;

b) Utilizarem meias altas e pretas;

c) Utilizarem fato preto de saia e casaco cintado;

d) Utilizarem saia com macho, com uma mão-travessa acima do joelho, de quem a veste;

e) Utilizarem camisa branca e lisa, com ou sem punhos;

f) Utilizarem gravata preta e lisa;

g) Utilizarem Capa preta, de uso comum, com ou sem cortes na parte inferior e com ou sem emblemas de pano na parte interior esquerda quando sobre os ombros;

h) O tecido das bandas do casaco será o mesmo que o do próprio casaco;

i) A roupa interior e os bolsos não estão sujeitos a revista;

j) É proibido o uso de botins ou botas, luvas, pulseiras, brincos cujo tamanho seja superior ao lóbulo da orelha, piercings visíveis e outros adereços não expressamente autorizados pelo Conselho de Veteranos;

k) Os brincos têm de ser discretos;

l) É proibido o uso de colete;

m) Sobre a cabeça só é autorizado o uso de gorro da PRAXE, o qual não tem borla nem termina em bico;

n) Os emblemas da Capa não podem ser visíveis estando esta traçada ou sobre os ombros;

o) Somente é permitido o uso de emblemas em pano na Capa que serão os da pátria, cidade natal, dos locais relacionados com os actos decorrentes da actividade académica, excluindo os incompatíveis com a Praxe Académica Coimbrã, tais como emblemas de clubes, marcas comerciais ou similares;

3.      No uso de Capa e Batina, esta entende-se como um conjunto em todas as situações. Quem a vestir deverá ter condições para cumprir de forma expedita o ponto 1 no caso do sexo masculino e com o ponto 2 no caso do sexo feminino;

4.      No uso de Capa e Batina, a Capa e a Batina no caso do sexo masculino e a Capa o casaco no caso do sexo feminino não podem estar separadas por uma distância superior a um braço estendido da pessoa a quem pertencem;

5.      No uso da Capa sobre um ombro, esta tem de estar com a gola para a frente.

As raparigas não podem exercer Praxe sobre os rapazes, assim como do mesmo modo não é permitido aos rapazes fazerem Praxe sobre as raparigas.

O uso da Capa e Batina obedece a normas tradicionais. Assim, deve colocar‑se a Capa caída sobre os ombros na passagem da Porta Férrea, dentro da Sala dos Capelos, nas aulas teóricas em que o professor é catedrático (podendo retirá‑la com a autorização do professor), em sinal de respeito para com a pessoa com que se está a falar ou a acompanhar, e em sinal de respeito devido ao local onde se está ( igreja, catedral, cerimónia académica,etc.). Nestas ocasiões, deverão os estudantes ter também a batina abotoada. Nas serenatas, todos os estudantes que estejam de Capa e Batina deverão ter a Capa traçada.No caso de luto, deve ter‑se a Batina abotoada e com as abas fechadas, e a Capa caída sobre os ornbros.

Em certas ocasiões, em que se pretende homenagear alguém académicamente, coloca‑se‑lhe uma Capa caída sobre os ombros, e só em casos muito especiais, se coloca as Capas no chão, totalmente estendidas, para que o homenageado possa passar sobre elas, sendo esta a maior homenagem académica dos estudantes de Coimbra.

 


Copyright © 2007 Conselho de Veteranos
Last modified: 31-Ago-2014